AUGUSTO PESSÔA - CONTADOR DE HISTÓRIAS - (BRASIL)

Minha foto
Ator, Cenógrafo, Figurinista, Arte Educador Dramaturgo e Contador de Histórias. Bacharelado em Artes Cênicas (Habilitação em Interpretação e Habilitação em Cenografia) pela UNI-RIO - Universidade do Rio de Janeiro.

A PANQUECA FUGITIVA, O RESMUNGÃO E OUTROS CONTOS NÓRDICOS

A PANQUECA FUGITIVA, O RESMUNGÃO E OUTROS CONTOS NÓRDICOS

HISTÓRIAS DE NATAL

HISTÓRIAS DE NATAL
livro de contos populares adaptados e ilustrados por Augusto Pessõa - Ed. Escrita Fina (2010)

HISTÓRIAS DE BRUXAS - livro

HISTÓRIAS DE BRUXAS - livro
Clique na imagem para conhecer o livro e a Editora LIVROS ILIMITADOS. Você pode adquir um exemplar do livro de Augusto Pessôa e conhecer outras publicações da editora.

sábado, 26 de setembro de 2009

A MULHER E A FILHA BONITA - conto popular


Uma mulher viúva tinha uma filha muito bonita. A mulher também era muito bela, mas tinha uma inveja danada da beleza da filha.
Um dia, passou em frente a sua casa um grupo de viajantes e a mulher disse para eles:
- Os senhores já viram uma cara mais formosa do que a minha?
E eles responderam:
- É muito bela! Mas a sua filha ainda é mais!
A mulher ficou com raiva e foi tomando ódio da filha.
Outra vez passaram por lá outros andarilhos e ela fez a mesma pergunta e teve a mesma resposta. E sempre que passava alguém pela casa a cena se repetia. A mulher, com muita raiva, mandou trancar a mocinha num quarto para não ser vista por mais ninguém. A menina sofria tudo com muita paciência e nada dizia.
No quarto onde ela estava, tinha uma janelinha que dava para a rua. Uma vez ela abriu a janela na hora certa em que passavam uns viajantes. Os homens viram a jovem e ficaram encantados. Eles chegaram a casa e a mãe da mocinha foi logo dizendo:
- Os senhores já viram uma cara tão bonita como a minha?
E mais uma vez a mulher ouviu a resposta:
- É bonita! Mas a da moça que está lá na janela, ainda é mais!
A mulher ficou com tanto ódio que ordenou a um empregado da casa que levasse a filha para a floresta e lá a matasse. O empregado levou a moça. Chegando numa clareira o homem puxou o facão, mas teve pena de matar e mandou a moça sumir dali. O empregado cortou a ponta da língua de uma cachorrinha e levou para a senhora, dizendo que tinha matado a moça. A malvada acreditou.
A mocinha ficou andando pela floresta sem destino. De noite ela subiu numa grande árvore e muito longe viu uma fumacinha. Desceu e foi para aquela direção. Depois de muito andar, ela chegou: era um grande palácio. Mas sem ninguém dentro e muito sujo. A moça, que era muito trabalhadeira, arrumou, varreu, esfregou e limpou. Deixou tudo um brinco. Ela não sabia, mas o palácio era do Rei dos ladrões. Quando foi mais tarde a moça viu ele chegar com a sua grande tropa. Ela teve muito medo e se escondeu. Os ladrões ficaram muito espantados e felizes com aquela arrumação toda. Procuraram por todo o palácio para saber quem tinha feito aquilo e encontraram a moça. Como ela era muito bela, todos os ladrões ficaram encantados. Eles começaram a brigar para ver quem ficaria com ela. Então o Rei dos ladrões mandou parar a briga e ordenou que a moça ficasse em casa morando com eles. Mas todos tinham que a tratar como se fosse uma irmã caçula. Assim fizeram, e a mocinha ficou ali, descansada.
Passou um tempo e chegou aos ouvidos da mãe que a filha ainda estava viva. Viva e muito bem porque estava rica. A mãe mandou chamar uma feiticeira e pediu que procurasse a sua filha e desse fim na mocinha. A feiticeira aceitou a proposta e foi para a casa dos ladrões. Chegou no palácio quando a moça estava sozinha. A feiticeira, querendo enganar a jovem, foi dizendo:
- Oh, minha netinha, há tempos que não te vejo! Cuidei de você quando a menina era só um bebê! Trouxe aqui um presente de pobre: um parzinho de sapatos! Aceite que é de bom grado!
A moça por delicadeza aceitou os sapatos e logo que os calçou caiu pra trás como morta. A velha foi embora correndo. Quando os ladrões chegaram, encontraram a moça caída como morta e ficaram muito tristes. Pegaram a moça e botaram num caixão de vidro junto com um grande tesouro dentro. Mas não tiveram coragem de enterrá-la. Em cima do caixão colocaram um bilhete onde estava escrito: “Quem tiver coragem que enterre!”
Um príncipe, que andava caçando, encontrou o caixão de vidro. Vendo a moça, ficou tão apaixonado que, em vez de enterrar, a levou para o palácio. Guardou a jovem no seu quarto com toda a riqueza que encontrou. E a moça sempre a dormir e o príncipe quase doido de paixão. Não deixava ninguém ir ao seu quarto. Mas uma vez, estando ele fora, a princesa sua irmã teve curiosidade de ir ao quarto ver o que o príncipe escondia lá. Chegou, abriu o caixão e viu o tesouro e a moça. Achou tão bonita, mas estranhou que ela estivesse com uns sapatos tão feios. Puxou os sapatos e a moça suspirou e sentou-se pedindo água. A princesa deu a água e conversou com ela. A jovem contou toda a sua história. Depois a irmã do príncipe tornou a calçar os sapatos na moça que adormeceu de novo.
Quando o príncipe voltou, a princesa disse:
- Se você me der aquele tesouro que encontrou, eu conto um segredo que descobri lá no seu quarto!
O príncipe concordou e sua irmã desencantou a moça. Houve uma grande festa e o príncipe casou-se com a linda moça. No fim dos nove meses ela deu à luz a dois meninos. A coisa mais linda que podia ser. Mas a mãe da moça, sabendo de sua felicidade, mandou a feiticeira para ser parteira das crianças. Depois do parto, a velha escondeu os meninos e mostrou ao rei um sapo e uma lagartixa. A feiticeira mentiu dizendo que a moça tinha parido aqueles monstros porque era uma bruxa. O príncipe andava ausente numas guerras e o pai mandou para ele uma carta contando o que tinha acontecido. O príncipe mandou uma resposta dizendo ao pai que matasse a mulher. Mas o rei teve pena e somente cortou um dos seios da moça e a expulsou de casa.
Sem entender nada, a pobre jovem saiu de novo pelo mundo. Foi andando e, sem perceber, foi parar na casa de sua mãe. Chegou no momento exato que a feiticeira entregava os netos para a malvada mulher. A moça se armou de todas as forças, pegou um pau e bateu nas duas malvadas. Recuperou seus filhos e voltou a caminhar sem destino. Tendo muita sede chegou a uma fonte e bebeu água. Passou água no peito e ele tornou a crescer. Ela continuou sua viagem até chegar na casa de um gigante. A jovem contou toda a sua triste história. O gigante ficou com pena e deixou ela ficar por lá com os seus dois filhos.
Muito tempo depois, o príncipe estava em uma caçada e passou na casa do gigante. Viu os dois meninos e tomou por eles muita afeição. Desde esse dia, sempre que ia caçar, passava pela casa do gigante. Até que um dia viu sua mulher. Percebeu todo o mal que tinha feito e, chorando, pediu perdão. A moça que o amava muito aceitou. E eles passaram a viver numa felicidade imensa. Felizes como Deus com os anjos. Felizes para sempre.
Adaptação de Augusto Pessôa

2 comentários:

Anônimo disse...

Parecido com a história da Branca de Neve!

Anônimo disse...

Parecido com a história da Branca de Neve!

A RÃ E O BOI - VÍDEO

A RÃ E O BOI - VÍDEO
Apresentação de Augusto Pessôa no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias SESC RJ 2010. Clique na imagem e assista a história

A MENINA QUE FAZIA AZEITE DE DENDÊ

A MENINA QUE FAZIA AZEITE DE DENDÊ
Clique na imagem e assista a hitória

UMA APOSTA (VÍDEO)

UMA APOSTA (VÍDEO)
Conto de Artur Azevedo. CLIQUE NA IMAGEM E VEJA O VÍDEO

LIVROS LEGAIS

  • GRAMÁTICA DA FANTASIA de Gianni Rodari - Summus Editorial.
  • GUARDADOS DO CORAÇÃO – Memorial para Contadores de Histórias de Francisco Gregório Filho - Editora Amais.
  • FÁBULAS ITALIANAS de Ítalo Calvino - Editora Companhia das Letras
  • DICIONÁRIO DE FOLCLORE BRASILEIRO de Câmara Cascudo - Editora Itatiaia
  • VASOS SAGRADOS de Maria Inez do Espírito Santo - Ed Rocco
  • MEUS CONTOS AFRICANOS - seleção de Nelson Mandela - Ed Martins
  • LENDAS BRASILEIRAS de Camara Cascudo - Ediouro
  • CONTOS TRADICIONAIS DO BRASIL de Camara Cascudo - Ed Itatiaia
  • CONTOS POPULARES DO BRASIL de Silvio Romero - Ed Itatiaia

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo

MARIA BORRALHEIRA (VÍDEO)

MARIA BORRALHEIRA (VÍDEO)
Peça teatral baseada no conto popular MARIA BORRALHEIRA com Augusto Pessôa e Rodrigo Lima. Direção Rubens Lima Junior. Clique na foto e assista a um trecho da peça.

FELIZES PARA SEMPRE (RESENHA)

FELIZES PARA SEMPRE (RESENHA)
Clique na imagem e veja a resenha do livro FELIZES PARA SEMPRE

QUANDO OS BICHOS AINDA FALAVAM

QUANDO OS BICHOS AINDA FALAVAM
Apresentação no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias SESC RJ 2009

A MENINA QUE VIROU CORUJA (VÍDEO)

A MENINA QUE VIROU CORUJA (VÍDEO)
Conto Africano. Clique na imagem e assista ahistória

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Cliuqe na imagem e assista a um trecho do espetáculo

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo.

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Clique na imagem e assita a um trecho do espetáculo

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - SONHO DE MENINA

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - SONHO DE MENINA
Apresentação no SESC Niterói - nov 2009 - Clique na imagem e assista a apresentação.

O MARIDO FIEL - VÍDEO

O MARIDO FIEL - VÍDEO
Conto de Nelson Rodrigues - adaptação e narração de Augusto Pessôa. Clique na imagem e assista a história.

O JABUTI E A FRUTA (VÍDEO)

O JABUTI E A FRUTA (VÍDEO)
conto popular adaptado por Augusto Pessôa. CLIQUE NA IMAGEM E ASSISTA AO VÍDEO

VOU BUSCAR O MEU AMOR (VÍDEO)

VOU BUSCAR O MEU AMOR (VÍDEO)
Cena do espetáculo A MOURA TORTA. Clique na foto e veja a cena

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo em cartaz no teatro do Jockey - Gávea

JABUTI

JABUTI
Apresentação no Simpósio Internacional de contadores de Histórias - SESC RJ 2009. Clique na imagem e assista a um trecho da apresentação

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - abertura da peça (VÍDEO)

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - abertura da peça  (VÍDEO)
Apresentação no SESC Niterói - nov 2009 - Clique na imagem e assista a apresentação

A NOITE QUE A LUA SUMIU DO CÉU (VÍDEO)

A NOITE QUE A LUA SUMIU DO CÉU (VÍDEO)
Clique na imagem e veja um clipe do espetáculo

A DAMA DO LOTAÇÃO (VÍDEO)

A DAMA DO LOTAÇÃO (VÍDEO)
conto de Nelson Rodrigues. Adaptação e narração de Augusto Pessôa

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (VÍDEO)

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (VÍDEO)
Peça baseada no conto popular O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (2003). Clique na foto e veja um trecho do espetáculo.

TOC, TOC, TOC, TOC (VÍDEO)

TOC, TOC, TOC, TOC (VÍDEO)
Conto de Arur Azevedo. CLIQUE NA IMAGEM E VEJA O VÍDEO

MALASARTES E O HOMEM ENGANADO DUAS VEZES (VÍDEO)

MALASARTES E O HOMEM ENGANADO DUAS VEZES (VÍDEO)
Contação de Histórias. Clique na imagem e assista a contação.

MENINA FACEIRA

MENINA FACEIRA
Apresentação de Augusto Pessôa e Rodrigo Lima no Instituto Moreira Salles - set 2009. Clique na imagem e veja a apresentação.

HISTÓRIA DE ANTANHO (VÍDEO)

HISTÓRIA DE ANTANHO (VÍDEO)
NA CASA DE SEU PEDRÃO. Apresentação de Augusto Pessôa e Rodrigo Lima no SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CONTADORES DE HISTÓRIAS - SESC RJ (2008). Clique na imagem e veja a apresentação

MÚSICA - NA FEIRA DO TEM TEM (VÍDEO)

MÚSICA - NA FEIRA DO TEM TEM (VÍDEO)
O Rei Doente do Mal de Amores - apresentação no SESC Niterói 2009. Clique na imagem e assista a cena.

PARA SEMPRE FIEL (VÍDEO)

PARA SEMPRE FIEL (VÍDEO)
Conto de Nelson Rodrigues - adaptação e narração de Augusto Pessôa

SUSPIROS VÃO E VEM (VÍDEO)

SUSPIROS VÃO E VEM (VÍDEO)
Apresentação do espetáculo O REI DOENTE DO MALDE AMORES no SESC Niterói 2009. Clique na imagem e assista a apresentação

MALASARTES! (VÍDEO)

MALASARTES! (VÍDEO)
Peça baseada nas histórias de Pedro Malasartes. Clique na foto e veja um trecho do espetáculo

O JABUTI E A FRUTA

O JABUTI E A FRUTA
Apresentação no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias - SESC RJ 2009. Clique na imagem e assista a história

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Crítica do espetáculo publicada no JORNAL DO BRASIL

MARIA BORRALHEIRA - CRÍTICA (IMAGEM)

MARIA BORRALHEIRA - CRÍTICA (IMAGEM)
Clique na imagem e leia a crítica sobre o espetáculo

MALASARTES - CRÍTICA (IMAGEM)

MALASARTES - CRÍTICA (IMAGEM)
Clique na imagem e leia a crítica do espetáculo.

CRÍTICA DO ESPETÁCULO O REI DOENTE DO MAL DE AMORES

CRÍTICA DO ESPETÁCULO O REI DOENTE DO MAL DE AMORES

MALASARTES - Histórias de Um Camarada Chamado Pedro

MALASARTES - Histórias de Um Camarada Chamado Pedro
Livro de Augusto Pessôa publicado pela Editora ROCCO (2007)

FELIZES PARA SEMPRE

FELIZES PARA SEMPRE
Livro com adaptações de Augusto Pessôa - Editora ROCCO (2003)

CONTOS DE HUMOR

CONTOS DE HUMOR
Contos de Artur Azevedo - organização Augusto Pessôa - Editora ROCCO (2008)

CONTANDO HISTÓRIAS NA ABL

CONTANDO HISTÓRIAS NA ABL
CONTANDO HISTÓRIAS NA BIBLIOTECA DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS