AUGUSTO PESSÔA - CONTADOR DE HISTÓRIAS - (BRASIL)

Minha foto
Ator, Cenógrafo, Figurinista, Arte Educador Dramaturgo e Contador de Histórias. Bacharelado em Artes Cênicas (Habilitação em Interpretação e Habilitação em Cenografia) pela UNI-RIO - Universidade do Rio de Janeiro.

HISTÓRIAS DE NATAL

HISTÓRIAS DE NATAL
livro de contos populares adaptados e ilustrados por Augusto Pessõa - Ed. Escrita Fina (2010)

HISTÓRIAS DE BRUXAS - livro

HISTÓRIAS DE BRUXAS - livro
Clique na imagem para conhecer o livro e a Editora LIVROS ILIMITADOS. Você pode adquir um exemplar do livro de Augusto Pessôa e conhecer outras publicações da editora.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

O PINTO PELADO - conto popular

Há muito tempo atrás, na época que os bichos ainda falavam, nasceu no galinheiro um pinto. Mas era um pinto diferente. Não tinha nenhuma penugem na cabeça. Era totalmente careca. Os galos, as galinhas e principalmente as frangas implicavam muito com ele:
- Sai pra lá, pinto!! Ai, que pinto feio!! Sai pra lá!!!
E batiam muito nele. O pinto já estava cansado disso e resolveu fazer uma reclamação ao Rei. Pegou sua sacola e já ia saindo do galinheiro quando viu um papelzinho. Era um papel amassado, sujo, todo rabiscado. O pinto que não sabia ler resolveu que aquela seria sua carta ao Rei. E foi andando... andou... andou... até que escutou uma voz:
- Pinto!! Oh, pinto!! Pra onde você vai?
- Quem está falando?
- Sou eu... a raposa. Pra onde você vai?
- Eu vou levar uma carta ao Rei!
- Posso ir com você?
- Pode.
A raposa entrou na sacola do pinto e ele continuou a caminhada. Andou... andou... andou... até que sentiu sede. Foi beber água num grande rio. Estava matando a sede quando ouviu uma voz:
- Pinto!! Oh, pinto!! Pra onde você vai?
- Quem está falando?
- Sou eu... o rio. Pra onde você vai?
- Eu vou levar uma carta ao Rei!
- Posso ir com você?
- Mas senhor rio, o senhor é muito grande! Como é que eu vou levar o senhor?
- Ah... eu me enrosco... me enrolo... fico bem pequenininho e vou com você.
- Então, está bom!!
E o rio que era enorme se enroscou... se enrolou... ficou bem pequeninho e entrou na sacola do pinto.
- Olha, cuidado para não molhar a raposa!!!
E o pinto continuou sua caminhada. Andou... andou... andou... até que encontrou um enorme espinheiro com cada espinho desse tamanho. O pinto já ia desviando, quando ouviu uma voz:
- Pinto!! Oh, pinto!! Pra onde você vai?
- Quem está falando?
- Sou eu... o espinheiro. Pra onde você vai?
- Eu vou levar uma carta ao Rei!
- Posso ir com você?
- Mas senhor espinheiro, o senhor é muito grande! Como é que eu vou levar o senhor?
- Ah... eu me aperto... me espremo... fico bem pequenininho e vou com você.
- Então, está bom!!
E o espinheiro que era enorme se apertou... se espremeu... ficou bem pequenininho e entrou na sacola do pinto.
- Olha, cuidado pra não se molhar no rio e nem espetar a raposa!!!
E o pinto continuou sua caminhada. Andou... andou... andou... até que chegou ao palácio do Rei. Os guardas acharam graça naquele pinto tão empinado e deixaram ele passar. O pinto entrou no palácio. Andou por salas, por salões, até que chegou a sala do trono. No final da sala o Rei sentado no trono. O pinto aproximou-se e entregou a carta. Quando o Rei pegou aquele papelzinho sujo, amassado e rabiscado ficou irritado:
- Que pinto abusado!! Entregar um papel todo sujo ao Rei! Prendam esse pinto!!!
O pinto nem teve tempo de piar. Os guardas agarraram o pinto e o jogaram no galinheiro real. As frangas do galinheiro real eram muito metidas. De bico em pé e sangue azul. E não gostaram daquele pinto:
- Que pinto é esse? Pinto feio! Careca!! Sai prá lá, pinto!! Sai!!!
E começaram a bater no pinto. O pinto que tinha saído do seu galinheiro por que estava apanhado, foi para o outro galinheiro para apanhar também. Ele estava desesperado quando ouviu uma voz:
- Pinto! Oh, pinto, me solta que eu resolvo!!
- Mas quem é que está falando?
- Sou eu... a raposa. Me solta que eu resolvo!!!
O pinto abriu a sacola e libertou a raposa. A raposa matou cinco galinhas a dentadas e outras dez morreram do coração. O pinto aproveitou a confusão e fugiu. Mas o Rei viu e gritou:
- Prendam esse pinto!!!
Todos os guardas foram atrás do pinto. E o pinto corria... e os guardas atrás... o pinto corria... e os guardas atrás... quando os guardas estavam quase pegando o pinto ele ouviu uma voz:
- Pinto! Oh, pinto! Me solta que eu resolvo!!
- Quem é que está falando?
- Sou eu... o rio. Me solta que eu resolvo!!!
O pinto abriu a sacola e libertou o rio. O rio que estava bem pequenininho... enroscadinho... cresceu!!! Ficou enorme!!! Olha, teve guarda afundando. Teve guarda se afogando. Mas teve guarda que pegou canoa e foi atrás do pinto. E o pinto corria... e os guardas atrás... o pinto corria... e os guardas atrás... quando os guardas estavam quase pegando o pinto ele ouviu uma voz:
- Pinto! Oh, pinto! Me solta que eu resolvo!!!
- Mas quem é que está falando?
- Sou eu... o espinheiro. Me solta que eu resolvo!!!
O pinto abriu a sacola e libertou o espinheiro. O espinheiro que estava bem pequenininho... bem apertadinho... cresceu!!! Ficou enorme!!! Com cada espinho desse tamanho e os guardas ficaram presos nos espinhos. Ufa!! O pinto conseguiu se salvar. Mas não conseguiu fazer sua reclamação ao Rei. Resolveu voltar para casa assim mesmo. Andou... e andou... até que avistou o galinheiro. Duas frangas, que estavam na porta do galinheiro, olharam para ele e disseram:
- Nossa, que galo bonito!!!
O pinto estranhou. E eles continuaram:
- Tão forte. Com aquela careca charmosa!!!
E então, o pinto percebeu que o tempo tinha passado e ele tinha se transformado num galo bonito e forte. Entrou no galinheiro, contou sua aventuras e passou a ser estimado e respeitado por todos.


Adaptação de Augusto Pessôa do conto popular
"O Pinto Pelado"

Um comentário:

LEILOKA disse...

Augusto, adoro as suas historias e o seu jeito de contá-las. Espero assistir você ao vivo no encontro de contadores.Sucesso

A RÃ E O BOI - VÍDEO

A RÃ E O BOI - VÍDEO
Apresentação de Augusto Pessôa no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias SESC RJ 2010. Clique na imagem e assista a história

A MENINA QUE FAZIA AZEITE DE DENDÊ

A MENINA QUE FAZIA AZEITE DE DENDÊ
Clique na imagem e assista a hitória

UMA APOSTA (VÍDEO)

UMA APOSTA (VÍDEO)
Conto de Artur Azevedo. CLIQUE NA IMAGEM E VEJA O VÍDEO

LIVROS LEGAIS

  • GRAMÁTICA DA FANTASIA de Gianni Rodari - Summus Editorial.
  • GUARDADOS DO CORAÇÃO – Memorial para Contadores de Histórias de Francisco Gregório Filho - Editora Amais.
  • FÁBULAS ITALIANAS de Ítalo Calvino - Editora Companhia das Letras
  • DICIONÁRIO DE FOLCLORE BRASILEIRO de Câmara Cascudo - Editora Itatiaia
  • VASOS SAGRADOS de Maria Inez do Espírito Santo - Ed Rocco
  • MEUS CONTOS AFRICANOS - seleção de Nelson Mandela - Ed Martins
  • LENDAS BRASILEIRAS de Camara Cascudo - Ediouro
  • CONTOS TRADICIONAIS DO BRASIL de Camara Cascudo - Ed Itatiaia
  • CONTOS POPULARES DO BRASIL de Silvio Romero - Ed Itatiaia

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo

MARIA BORRALHEIRA (VÍDEO)

MARIA BORRALHEIRA (VÍDEO)
Peça teatral baseada no conto popular MARIA BORRALHEIRA com Augusto Pessôa e Rodrigo Lima. Direção Rubens Lima Junior. Clique na foto e assista a um trecho da peça.

FELIZES PARA SEMPRE (RESENHA)

FELIZES PARA SEMPRE (RESENHA)
Clique na imagem e veja a resenha do livro FELIZES PARA SEMPRE

QUANDO OS BICHOS AINDA FALAVAM

QUANDO OS BICHOS AINDA FALAVAM
Apresentação no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias SESC RJ 2009

A MENINA QUE VIROU CORUJA (VÍDEO)

A MENINA QUE VIROU CORUJA (VÍDEO)
Conto Africano. Clique na imagem e assista ahistória

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Cliuqe na imagem e assista a um trecho do espetáculo

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo.

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)

ERA VIDRO E SE QUEBROU (VÍDEO)
Apresentação do Coral da Ciser - Joinville (2009). Clique na imagem e assita a um trecho do espetáculo

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - SONHO DE MENINA

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - SONHO DE MENINA
Apresentação no SESC Niterói - nov 2009 - Clique na imagem e assista a apresentação.

O MARIDO FIEL - VÍDEO

O MARIDO FIEL - VÍDEO
Conto de Nelson Rodrigues - adaptação e narração de Augusto Pessôa. Clique na imagem e assista a história.

O JABUTI E A FRUTA (VÍDEO)

O JABUTI E A FRUTA (VÍDEO)
conto popular adaptado por Augusto Pessôa. CLIQUE NA IMAGEM E ASSISTA AO VÍDEO

VOU BUSCAR O MEU AMOR (VÍDEO)

VOU BUSCAR O MEU AMOR (VÍDEO)
Cena do espetáculo A MOURA TORTA. Clique na foto e veja a cena

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Clique na imagem e assista a um trecho do espetáculo em cartaz no teatro do Jockey - Gávea

JABUTI

JABUTI
Apresentação no Simpósio Internacional de contadores de Histórias - SESC RJ 2009. Clique na imagem e assista a um trecho da apresentação

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - abertura da peça (VÍDEO)

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES - abertura da peça  (VÍDEO)
Apresentação no SESC Niterói - nov 2009 - Clique na imagem e assista a apresentação

A NOITE QUE A LUA SUMIU DO CÉU (VÍDEO)

A NOITE QUE A LUA SUMIU DO CÉU (VÍDEO)
Clique na imagem e veja um clipe do espetáculo

A DAMA DO LOTAÇÃO (VÍDEO)

A DAMA DO LOTAÇÃO (VÍDEO)
conto de Nelson Rodrigues. Adaptação e narração de Augusto Pessôa

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (VÍDEO)

O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (VÍDEO)
Peça baseada no conto popular O REI DOENTE DO MAL DE AMORES (2003). Clique na foto e veja um trecho do espetáculo.

TOC, TOC, TOC, TOC (VÍDEO)

TOC, TOC, TOC, TOC (VÍDEO)
Conto de Arur Azevedo. CLIQUE NA IMAGEM E VEJA O VÍDEO

MALASARTES E O HOMEM ENGANADO DUAS VEZES (VÍDEO)

MALASARTES E O HOMEM ENGANADO DUAS VEZES (VÍDEO)
Contação de Histórias. Clique na imagem e assista a contação.

MENINA FACEIRA

MENINA FACEIRA
Apresentação de Augusto Pessôa e Rodrigo Lima no Instituto Moreira Salles - set 2009. Clique na imagem e veja a apresentação.

HISTÓRIA DE ANTANHO (VÍDEO)

HISTÓRIA DE ANTANHO (VÍDEO)
NA CASA DE SEU PEDRÃO. Apresentação de Augusto Pessôa e Rodrigo Lima no SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CONTADORES DE HISTÓRIAS - SESC RJ (2008). Clique na imagem e veja a apresentação

MÚSICA - NA FEIRA DO TEM TEM (VÍDEO)

MÚSICA - NA FEIRA DO TEM TEM (VÍDEO)
O Rei Doente do Mal de Amores - apresentação no SESC Niterói 2009. Clique na imagem e assista a cena.

PARA SEMPRE FIEL (VÍDEO)

PARA SEMPRE FIEL (VÍDEO)
Conto de Nelson Rodrigues - adaptação e narração de Augusto Pessôa

SUSPIROS VÃO E VEM (VÍDEO)

SUSPIROS VÃO E VEM (VÍDEO)
Apresentação do espetáculo O REI DOENTE DO MALDE AMORES no SESC Niterói 2009. Clique na imagem e assista a apresentação

MALASARTES! (VÍDEO)

MALASARTES! (VÍDEO)
Peça baseada nas histórias de Pedro Malasartes. Clique na foto e veja um trecho do espetáculo

O JABUTI E A FRUTA

O JABUTI E A FRUTA
Apresentação no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias - SESC RJ 2009. Clique na imagem e assista a história

A MOURA TORTA

A MOURA TORTA
Crítica do espetáculo publicada no JORNAL DO BRASIL

MARIA BORRALHEIRA - CRÍTICA (IMAGEM)

MARIA BORRALHEIRA - CRÍTICA (IMAGEM)
Clique na imagem e leia a crítica sobre o espetáculo

MALASARTES - CRÍTICA (IMAGEM)

MALASARTES - CRÍTICA (IMAGEM)
Clique na imagem e leia a crítica do espetáculo.

CRÍTICA DO ESPETÁCULO O REI DOENTE DO MAL DE AMORES

CRÍTICA DO ESPETÁCULO O REI DOENTE DO MAL DE AMORES

MALASARTES - Histórias de Um Camarada Chamado Pedro

MALASARTES - Histórias de Um Camarada Chamado Pedro
Livro de Augusto Pessôa publicado pela Editora ROCCO (2007)

FELIZES PARA SEMPRE

FELIZES PARA SEMPRE
Livro com adaptações de Augusto Pessôa - Editora ROCCO (2003)

CONTOS DE HUMOR

CONTOS DE HUMOR
Contos de Artur Azevedo - organização Augusto Pessôa - Editora ROCCO (2008)

CONTANDO HISTÓRIAS NA ABL

CONTANDO HISTÓRIAS NA ABL
CONTANDO HISTÓRIAS NA BIBLIOTECA DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS